segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Convento D´Arrábida e Seus Arrabaldes

Convento D´Arrábida e Seus Arrabaldes é um video amador, o primeiro por mim produzido, em 2007.
Ele é o meu modesto contributo a todos aqueles que, como eu, amam a Serra.
Espero que gostem.
José Venâncio dos Santos

video

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Poderá Setúbal vir a ser um destino turístico? (vídeo)

video

Poderá Setúbal vir a ser um destino turístico?


No decorrer do ano lectivo tivemos muitas conversas e algumas discussões, por vezes acaloradas, cujo tema era, exactamente, Setúbal e o Turismo.
Tratando-se da nossa cidade pareceu-nos interessante uma reflexão mais profunda sobre o assunto na medida em que o turismo pode vir a representar um contributo importante para a economia da cidade.
Deitámos mãos à obra e, entre outras, surgiu-nos a pergunta fundamental:


-Poderá Setúbal vir a ser um destino turístico?


Na procura da resposta, realizámos o nosso estudo partindo da definição técnica de “Destino Turístico” a qual estabelece como condição indispensável a existência, no local ou na região, de património natural e/ou construído que seja suficientemente atractivo para gerar correntes turísticas.
Com o desejo de realizar um estudo competente adoptámos a seguinte metodologia:
a) Inventário geral das potencialidades do concelho tendo sido escolhidos quarenta itens;
b) Agrupamento dos itens por áreas ou afinidades atingindo-se o total de treze campos de acção;
c) Desenvolvimento de cada campo de acção e, simultaneamente, apresentação de sugestões.

Foram encontrados os seguintes pontos a favor de Setúbal:
1- A serra da Arrábida;
2- O Sado com uma das mais belas baías do mundo;
3- Bom peixe e marisco;
4- Razoável equipamento hoteleiro.

Como pontos de sentido contrário destacamos:
1- A degradação de toda a zona antiga da cidade e a sua desertificação;
2- A falta de limpeza;
3- A falta de instalações sanitárias públicas;
4- A falta de locais de paragem para veículos de turismo ( embarque/desembarque de passageiros);
5- A falta de um ou dois restaurantes de referência
6- A falta de um Hotel de luxo;
7- A falta de abertura do parque da Arrábida relativamente a comunidades vizinhas e a turistas;
8- A falta de equipamentos diversos na área lúdica;
9- A falta de locais para congressos e grandes reuniões;
10- A falta de equipamentos destinados a concertos, bailado, exposições e conferências;
11- A falta de grandiosidade histórica, monumental e artística.

Contabilizando os prós e os contras, estes apresentam-se com muito mais peso.
Salientamos que os itens 7 a 11 são os que mais contam para a fixação dos visitantes.
As paisagens, e como são belas as nossas, são propícias ao chamado turismo de passagem, que tem também muito interesse mas não se pode comparar com o turismo de permanência.
Resumindo e concluindo a resposta à pergunta antes colocada é negativa.
Estaremos, então, perante um problema sem solução?
Não, não estamos! Lembremo-nos de que até no deserto é possível criar um destino turístico! Las Vegas, por exemplo…
Considerando tudo o que antes fica dito, pensamos que a solução do problema passa pela associação do nosso município com os de Palmela e Sesimbra, recriando-se uma zona turística que, no passado, deu bons resultados sob a designação de Região dos Três Castelos.
Sesimbra e Palmela são concelhos com grande tradição na área turística, no artesanato, na pesca, nos vinhos e queijos; os seus habitantes são hospitaleiros e desenvolvem actividades interessantes do ponto de vista turístico.
Por outro lado as respectivas autarquias desenvolvem grande actividade no sentido de valorizar aqueles concelhos sob os mais diversos aspectos.
Pensamos que os três concelhos juntos se complementam magnificamente, pois existem muitas afinidades de carácter histórico-cultural e económico, podendo vir a constituir, então sim, um destino turístico com uma oferta muito diversificada e de boa qualidade, quase única em Portugal.
Assim, o turismo da região viria a representar uma mais valia significativa para a economia dos três concelhos.
Seria o motor para a criação de muitas medias e pequenas empresas e de postos de trabalho em quantidade apreciável, na medida em que o turismo é uma actividade que utiliza mão-de-obra intensiva e que possibilita o acesso ao trabalho a jovens habilitados com a escolaridade obrigatória e um curso profissional.
Aliás estes são a grande maioria dos trabalhadores do turismo; as funções de direcção e de guia-intérprete requerem formação superior.

Passamos em seguida ao desenvolvimento dos diferentes campos de acção e apresentação de sugestões.

1- Hotelaria e Restauração
A região está bem quanto a hotelaria podendo ser melhorada de acordo com as necessidades. Destaque para as pousadas de São Filipe e de Palmela.
Esta vila dispõe ainda de um aparthotel de 3 estrelas com 20 quartos recentemente construído. Setúbal necessita de um de 5 estrelas.
No que respeita a restauração, Sesimbra está muito bem; Palmela com o restaurante da pousada e o Retiro Azul cobre as suas necessidades. Setúbal tem uma grande oferta de restaurantes médios e de muitas casas de pasto que servem bom peixe e marisco.
Faltam os restaurantes de referência (lembramo-nos do Naval e do Pescador, até à década de 70).

2-Vinhos, Queijos e Doçaria
Esta região produz alguns dos melhores vinhos de Portugal, assim como ocupa um lugar de destaque relativamente à qualidade dos queijos que produz.
Há, presentemente, um grande interesse pelo enoturismo. Azeitão, Quinta do Anjo e Palmela são grandes centros produtores de vinhos.
Sugere-se a divulgação sistemática e a exploração comercial de rotas do queijo e do vinho, já criadas ou a criar e a organização de circuitos turísticos especializados com visitas a adegas e queijarias. Igualmente se sugere a organização de refeições nas adegas e provas de vinhos.
Não esquecemos as tortas de Azeitão e o doce de laranja de Setúbal, também a incluir em circuitos turísticos.

3-Gastronomia
Basicamente peixe e marisco. Trata-se de uma gastronomia simples, mas de boa qualidade a qual atrai muitos visitantes sobretudo nacionais. É uma importante mais valia e um grande cartaz turístico. Está no bom caminho.

4-Artesanato
Fábricas de azulejos e de outros tipos de cerâmica e trabalhos em pedra, em Azeitão e Quinta do Anjo. São motivos de muito interesse especialmente para os visitantes estrangeiros e devem igualmente fazer parte dos circuitos turísticos já mencionados.

5-Património Construído
Sítios arqueológicos nos três concelhos a necessitarem de intervenção urgente por parte de quem de direito. A arqueologia é uma actividade em franco progresso contando cada vez mais com um público interessado. Ruínas Romanas nas duas margens do Sado igualmente a necessitarem de grande intervenção. Dois castelos árabes e um forte espanhol em bom estado de conservação.
A Quinta da Bacalhoa com os seus jardins e a sua preciosa colecção de azulejos é um belo exemplo do renascimento na nossa região. Atravessa um período de obras de conservação que muito a valorizarão.
Não podemos deixar de referir a importância da excepcional colecção de azulejos expostos na Adega dos Vinhos da Bacalhoa.
O Convento de Jesus, marco importante da arte manuelina, que poderia ser o ex-líbris da cidade, necessita de grandes obras de restauro tanto no interior como no largo fronteiro. Com a maior urgência.
A Porta de S. Sebastião, a Mouraria e a Judiaria, as Igrejas de Santa Maria e de São Julião, a Casa do Corpo Santo (Museu do Barroco) indicam claramente a viabilidade da visita de Setúbal a pé incluindo ainda o Mercado do Livramento com os seus belos painéis de azulejos e a Casa das 4 Cabeças, na rua Fran Paxeco, em Troino. Esta visita é, presentemente efectuada pelo Museu do Trabalho e conduzida pelo seu guia, Sr. Catalão, sempre com o maior êxito. Chama-se a atenção dos agentes de viagens locais para esta realidade.
A visita da zona antiga de Sesimbra que se encontra em bom estado de conservação é bastante interessante e faz-se igualmente a pé.
O novo passeio marítimo assim como o arranjo da restante frente marítima vieram valorizar muito, do ponto de vista turístico, aquela vila que nos anos sessenta e setenta foi um destino turístico com alguma importância. Eram os tempos da venda do peixe feita à noite na praia e dos concursos de pesca do espadarte organizados pelo saudoso Sr. José Braz.
Incluímos, ainda, nesta área os moínhos na Serra do Louro em Palmela e a Doca dos Pescadores em Setúbal, Esta pelo seu espectacular conjunto de cores das embarcações nela abrigadas e que tanta admiração e apreço causam aos visitantes.

6-Patrimonio não utilizado e em degradação
Regimento de Infantaria nº 11
Pensamos que será o espaço ideal para a criação dum núcleo museológico, juntando os museus Oceanográfico, o Arqueológico e o da Cidade, conferindo-lhes a dimensão e a visibilidade de que hoje, isoladamente, não dispõem . Deveria ainda dispor de espaço para exposições temporárias, auditório, cafetaria e biblioteca (porque não a municipal?). Seria a utilização muito digna de um espaço com história e forte ligação à cidade.
Convento de Brancanes
Com uma localização invejável possibilitará, sem dúvida, a instalação de uma excelente unidade hoteleira.
Convento de São Francisco
Outro imóvel com história quase completamente destruído que poderia ser recuperado mediante o seu aproveitamento como pousada ou similar.
Forte de Albarquel
Pela sua excelente localização junto à praia tudo indica que seria correcta a instalação de uma pousada da juventude.
Bateria de Artilharia de Costa (Serra da Arrábida)
Não conhecemos a situação actual desta infra-estrutura militar, mas dada a sua localização privilegiada é de pensar no seu aproveitamento para fins turísticos.

7-Parque Natural da Arrábida
Área de uma beleza paisagística fora do comum deverá constituir uma mais valia para o turismo regional. À sua Direcção pede-se uma melhor comunicação e uma abertura diferente relativamente às comunidades circundantes e aos visitantes ocasionais.
Deste modo sugere-se a criação dos serviços de recepção e interpretação do Parque de onde partiriam os diferentes trilhos.
Sugere-se igualmente a construção de abrigos para a observação da fauna local. Deverá, ainda, o parque autorizar, segundo projectos e normas por si bem definidos, a construção de pequenas unidades de apoio tais como cafetarias, pequenas estalagens e casas abrigo para os amantes da natureza, não esquecendo, naturalmente, as indispensáveis instalações sanitárias.

8-Baía e Estuário
Deveriam ser mais utilizados para a prática dos desportos náuticos não motorizados. Grandes competições nacionais e internacionais de vela, remo e natação deveriam ai ter lugar.
O Clube Naval Setubalense tem longa tradição e experiência nesta matéria. É só aproveitá-la.
O estuário tem outros aspectos que o valorizam tais como a observação dos golfinhos, o porto palafita da Carrasqueira, os moínhos de maré e a subida do Sado. Importantes ruínas romanas na caldeira da Tróia. Tudo isto pode ser incluído em circuitos turísticos utilizando embarcações tradicionais ou outras, actividade aliás já praticada por algumas empresas setubalenses.

9-Actividades subaquáticas
Sesimbra está muito bem equipada para a sua prática, aliás, a funcionar em pleno. O seu porto pode também funcionar como local de abrigo e apoio às grandes regatas oceânicas.

10-Praias
Dispõe a nossa região de um conjunto excelente a confirmar que quanto a mar e sol somos dos melhores. Contudo é imperioso dotar essas praias com os equipa- mentos necessários ao seu bom funcionamento, segurança e higiene dos utiliza- dores.

11-Administração do Porto de Setúbal
Um aspecto que merece a nossa atenção é a utilização do nosso porto como local de escala para navios de cruzeiro de pequeno porte transportando turistas de grande capacidade económica. Até agora, que seja do nosso conhecimento, nada foi feito nesse sentido. Assim sugerimos a transformação da estacada numero três e seus armazéns numa pequena gare marítima onde esses navios possam acostar. A menos de 10 minutos do centro histórico! Em nossa opinião este ponto deve merecer a melhor atenção por parte da A.P.S na medida em que se trata de um nicho de mercado muito apetecível e que tem merecido esforços por parte das administrações de portos situados um pouco por todo o mundo com vista a captação desse segmento de mercado.

12-Acessibilidades
Sabemos que temos das melhores do país. Auto estradas já em funcionamento, o porto de Setúbal, o caminho-de-ferro normal, o novo aeroporto e o comboio de alta velocidade formarão um conjunto perfeito de infra-estruturas de transportes para a nossa região.

13-Finalmente Tróia
Acreditamos que o projecto actualmente em curso em Tróia e outros mais a sul com os seus hotéis marinas, casino, campos de golfe, aldeamentos de luxo etc., etc. serão benéficos para Setúbal. Tomando como ponto de referencia para o nosso raciocínio a anunciada existência de 6000 camas na outra margem do rio (julgamos que serão muito mais) e considerando uma taxa de ocupação média anual de 50% (que não seria das melhores) teríamos, normalmente, cerca de 3000 turistas em Tróia e proximidades. Se 15% destes visitantes resolvessem vir a Setúbal diariamente e encontrassem uma cidade bem arrumada, limpa, com cores alegres, oferecendo um bom comércio, restauração de qualidade e possibilidades, as mais diversas, de excursões a vários pontos do país - visitas guiadas, provas de vinho e de queijos, monumentos e museus, diversão nocturna, etc. etc. – então sim, a nossa cidade rejuvenesce serão criados muitos postos de trabalho, a animação será diferente. Setúbal poderá funcionar como uma placa giratória emissora e receptora de visitantes.

Com a boa vontade das entidades oficiais e a colaboração dos cidadãos, a resposta à pergunta inicial poderia agora ser positiva:









Setúbal transformar-se-ia num destino turístico para bem do futuro da nossa cidade.


Junho de 2008

Os alunos

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Obrigado (II)


Exmo. Sr. João Baptista e Cunhado

Papelaria Sªº Gonçalo
Brejos de Azeitão


Setúbal, 25 de Novembro de 2008

Exmo. Sr.

Foi com muita satisfação e agrado que nós, alunos das turmas A e B de Multimédia, da Uniseti, tivemos conhecimento da v/oferta, referente a cabos USB os quais estão a equipar os n/computadores, facilitando o avanço dos n/ trabalhos de um modo rápido e eficiente.
Vimos, pois, apresentar o nosso sincero agradecimento por tal oferta.
Com os n/respeitosos cumprimentos, somos com consideração,

Os alunos da Multimédia – Uniseti

Alice Palhano
Aniceto Jesus
Anna Netto
Ermelinda Ferreira
Fernanda Resende
Gil Sousa
Isabel Ferreira
José Gonçalves
Josefa Madaleno
Mª Antonieta Mantas
Mª Eduarda Gonçalves
Mª Teresa Branco Severino
Manuel Claudina Soares
Mário Salgado

Obrigado (I)

Exmo. Sr. Jaime Freitas
Casa Freitas
Caneças

Setúbal, 23 de Novembro de 2008

Exmo. Sr.

Foi com muita satisfação e agrado que nós, alunos das turmas A e B de Multimédia, da Uniseti, tivemos conhecimento da v/oferta, referente a colunas de som.

Com elas deu-nos a possibilidade de equiparmos os n/computadores, facilitando o avanço dos n/ primeiros trabalhos e também de adquirimos mais informação rapidamente.
Vimos, pois, apresentar o nosso sincero agradecimento por tal oferta.
Com os n/respeitosos cumprimentos, somos com consideração,

Os alunos da Multimédia – Uniseti

Alice Palhano
Aniceto Jesus
Anna Netto
Ermelinda Ferreira
Fernanda Resende
Gil Sousa
Isabel Ferreira
José Gonçalves
Josefa Madaleno
Mª Antonieta Mantas
Mª Eduarda Gonçalves
Mª Teresa Branco Severino
Manuel Claudina Soares
Mário Salgado

sábado, 4 de outubro de 2008

Objectivos e Informação

Este blogue nasceu da necessidade de publicar os trabalhos dos alunos de Fotografia e Multimédia bem como da interdisciplinaridade com outras áreas leccionadas na nossa Universidade assim como as interligações desta com a comunidade envolvente.
É reconhecida a interligação com disciplinas de Pintura, Cerâmica e Poesia numa primeira fase sendo no entanto implícito que existem outras disciplinas que a seu tempo seguramente irão participar neste blogue e assim contribuir para a divulgação das suas actividades ao longo do tempo.
Este é um blogue dos alunos da UNISETI para divulgação de algumas das suas actividades. Nesse sentido irá ser criado um corpo redactorial composto por alunos e supervisionado por professores que irão definir os formatos, conteúdos, publicação e manutenção deste blogue.
É nosso objectivo que em meados de Novembro esteja constituída esta equipa interdisciplinar que se reunirá e definirá o seu modo de operar. Até lá, se não for antes, agradecemos antecipadamente a todos aqueles que nos têm manifestado o seu apoio e contributo sob as mais diversas formas.