sexta-feira, 28 de maio de 2010

segunda-feira, 24 de maio de 2010

" E Tudo Aqui Tão Perto" por Maria José Alves

Este é um convite para apreciar um fim de tarde no rio Sado, com o azul intenso de uma das mais belas baías do mundo que, sob o olhar da Serra da Arrábida, se espraia pelas finas areias de Tróia, dando guarida a gaivotas e surfistas numa partilha comum.
Maria José Alves

quinta-feira, 20 de maio de 2010

"Foi Deus"por Ana T. Garcia e Fernanda Resende

Foi Deus um dos mais conhecidos fados de Amália Rodrigues, interpretado numa muito própria forma de cantar de Sónia Tavares. Interessantíssima transição entre a nostalgia do fado tradicional e a modernidade dos dias de hoje.
Ana T. Garcia e Fernanda Resende.

domingo, 16 de maio de 2010

"Masaccio" por Constantino Teles

Masaccio , pintor florentino que, apesar de ter morrido muito novo, é o genial iniciador do renascimento , o verdadeiro precursor dos seus grandes mestres. No espaço de apenas 6 anos transformou radicalmente a pintura ocidental, criando muitos dos seus principais conceitos e fundamentos: racionalidade, realismo, humanismo, sentido de relevo e monumentalidade, dignidade no tratamento da figura humana, clara e ordenada representação do espaço, atmosfera e luz.
Constantino Teles

quarta-feira, 12 de maio de 2010

"Angra do Heroísmo" por João José

Angra do Heroísmo,qual fénix renascido das cinzas,está imbuída de magia e encanto que dificilmente se podem traduzir em palavras,sendo-lhe atribuída pela UNESCO o título de Património Mundial, que bem merece.
João José

sábado, 8 de maio de 2010

"Butterfly Garden" por Alice Palhano

Entrar neste recinto é tudo aquilo que um adulto pode esperar dum mundo irreal, um ambiente mágico, cheio de fantasia, luz, cor, cheiros e música
Alice Palhano

terça-feira, 4 de maio de 2010

"Paula Rego - Tetralogia" por Constantino Teles

Paula Rego, pintora contemporânea portuguesa de renome mundial.
Possui uma enorme capacidade de dissecar e criticar. Retrata muito bem a realidade e as questões que considera prementes.
A sua maneira quase infantil de se exprimir torna-a uma personagem intrigante a que ninguém fica indiferente. Em certos momentos tem uma perturbante doçura, noutros uma assustadora agressividade, mas os seus quadros são belos, como tudo o que é indomável.
Constantino Teles
1.ª Parte


2.ª Parte



3.ª Parte



4.ª Parte